Sexo também é saúde

Como no dia a dia, homens e mulheres são bastante diferentes quando o assunto é sexo. Na cama, as expectativas de cada um podem correr em sentidos opostos, mas o comum acordo entre o casal pode fazer muito bem à relação. Entenda os benefícios do sexo e de que forma ele pode ser mais gostoso para homens e mulheres. Por que sentimos prazer no sexo? É inerente ao ser humano ter prazer no contato físico com outra pessoa. As fantasias de cada um mobilizam a busca por um parceiro ideal. Os órgãos do sentido trazem estímulos e, a partir daí, inicia-se o chamado “Ciclo de Resposta Sexual” – desejo, seguido de excitação, orgasmo e resolução. Sexo é prazeroso porque reequilibra, descarrega tensão e dá sensação de bem-estar. Do que as mulheres mais gostam? Proximidade física, intimidade e cumplicidade são fundamentais para que se sintam disponíveis e interessadas. Elas não procuram apenas contato genital. As ‘preliminares’ excitam e estimulam as mulheres para iniciarem o “Ciclo de Resposta Sexual” com sucesso. Diferentes dos homens, não buscam necessariamente o orgasmo e nem se obrigam a senti-lo. Do que os homens mais gostam? Do sexo genital, geralmente com penetração, ejaculação e orgasmo. Do ponto de vista biológico, sentem-se espalhando sua semente, implantando vida em alguém. Principais benefícios do sexo Do que as mulheres mais gostam? Ativa a circulação sanguínea, traz recompensa da proximidade física – que melhora o humor – e sensação de bem-estar pela liberação de endorfinas. Se o sexo não for satisfatório ou de boa qualidade, pode ser um instrumento para trazer à tona que a saúde ou a relação não vai bem. Gasto de calorias Relações sexuais gastam calorias principalmente, mas menos do que as pessoas imaginam – a não ser que seja realizada vigorosamente e à exaustão. Uma transa em que os dois se movimentam semelhantemente equivale a três voltas, a passos rápidos, em um quarteirão. Pele bonita Como o sexo ativa a circulação, a pele e as mucosas ficam mais nutridas. É como exercícios físicos, com a vantagem da proximidade com o outro, que dão sensação de aconchego e bem-estar. Ajuda o coração? Novamente, a ativação da circulação sanguínea é positiva para o coração. Mas a menos que o problema seja emocional – “coração machucado” – a relação sexual não trará benefícios específicos para o órgão vital. Quanto mais eu fizer, mais vou querer fazer? É verdade que, quanto mais se faz, mais o corpo se prepara para fazer novamente. Mulheres na menopausa, por exemplo, geralmente têm atrofia da mucosa da vagina. As que fazem mais sexo sofrem menos com o problema do que as que fazem pouco. Do ponto de vista biológico, a prática também deixa o corpo mais interessado em sexo porque libera mais hormônio sexual na corrente sanguínea. Se o sexo for de boa qualidade, aumenta a vontade de fazer de novo. Se for ruim, pode causar frustração e diminuir a vontade de repetir a dose. Preocupação masculina Os homens se preocupam muito com o assunto embora, geralmente, tenham um pênis de tamanho satisfatório. Não se sabe a porcentagem de homens que pensam que têm pênis pequeno, mas 2% deles são realmente obcecados com o assunto. Como não há comprovação científica de tratamentos de aumento de tamanho, o ideal é que procurem acompanhamento médico e terapia psicológica. Falta de libido: o que fazer? As causas são divididas em: **Dificuldades do casal – vínculo, relacionamento, conflito. **Falta de atração sexual **Doenças físicas, como disfunção hormonal (falta de testosterona ou de estrógeno) e diabetes. **Causas psíquicas, como a depressão. **Uso de medicamentos como anti-hipertensivos e antidepressivos Para combater a falta de libido, o mais importante é diagnosticar a causa. A falta de atração pode ser pontual e por aquela pessoa exclusivamente; no caso de crises e conflitos entre os casais, a indicação é resolver o problema entrando em consenso; doenças físicas devem ser tratadas com auxílio médico; e se o problema for os medicamentos, o ideal é modificar o tratamento, se